terça-feira, 9 de agosto de 2011

Caril de Bacalhau

Eu e a minha cara metade aproveitamos os fins-de-semana para conhecer os monumentos nacionais, especialmente em Lisboa e arredores, porque nos domingos de manhã até às 14h, as entradas são livres.

Descobrimos que o convento de Alcobaça também tem entrada livre aos domingos das 9h às 14h.
Eu já fui ao Palácio da Ajuda mais de uma vez e adoro lá voltar, assim como ao Museu dos Coches, Torre de Belém, Museu da Marinha, Aquário Vasco da Gama entre outros.

Estamos numa época de contenção e para quem gosta de visitar museus….domingos das 9h às 14h. Aproveite, pois desconfio que brevemente estas “entradas livres” vão acabar.

DSCN4850DSCN4897DSCN5978DSCN3906

Deixo-lhe aqui algumas fotos para abrir o “apetite cultural”…Mas como a vida não é somente “apetite cultural”, temos de tratar igualmente bem o nosso “apetite estomacal”. Esta sugestão que vos deixo hoje, caril de bacalhau, pode ser feita na véspera de um dia de passeio, cultural ou não.

DSCN4801

Atenção não deve deixar arrefecer de um dia para outro à temperatura ambiente, ou durante a tarde/noite. Deve efectuar um arrefecimento rápido, porque os alimentos não devem ficar mais de duas horas à temperatura ambiente. Tenha só o cuidado de não colocar o alimento demasiado quente no frigorífico para não danificar o mesmo. Nada como ler o manual do frigorífico!

Os alimentos podem ser arrefecidos através de dois métodos. Um dos métodos consiste em dividir em pequenas porções a refeição em vários recipientes. Outro método é colocar a refeição devidamente protegida num banho de água com gelo, de modo a arrefecer o alimento rápidamente.

Este caril foi feito no domingo de manhã, por volta das 7:30, dividido em duas porções (colocado em dois recipientes mais pequenos), posteriormente foram colocados num banho de água fria (a cuba deve ser muito bem limpa e desinfectada, seguidamente deve ser colocada água e cubos de gelo). Os recipientes com o caril frio foram guardados dentro do frigorifico. Fiz o arroz Basmati (acompanhamento do caril) na altura de servir.  Ao reaquecer o caril, idealmente deverá fervê-lo durante 10 a 15 minutos, de modo a permitir uma total distribuição do calor. Deverá mexer enquanto aquece.

Para os amantes do caril, substituí o frango/peixe por bacalhau…para os mais conservadores, arrisquem e deliciem-se com este prato:

Ingredientes (4 pessoas):
4 Postas de bacalhau demolhadas (utilizei bacalhau ultracongelado)
Água
1 Cebola grande
2 Dentes de alho
Azeite (podem utilizar óleo alimentar)
1 Colher chá de gengibre branco em pó (não tinha gengibre fresco, caso possua pode utilizar 1 colher de café de gengibre fresco ralado)
2 Colheres de sopa caril em pó (utilizo uma mistura de caril em pó indiano)
1 Colher café de açafrão (para dar cor)
1 Lata/pacote de leite de coco
1 raminho de coentros (os coentros tem a finalidade de “refrescar”)
Sal q.b.

Coza as postas de bacalhau em água a ferver, durante 5 a 10 minutos. Pode juntar metade de uma cebola à cozedura do bacalhau.

Retire o bacalhau cozido, deixe arrefecer e reserve um pouco da água.
Limpe o bacalhau de pele e espinhas. Lasce-o. Pique a cebola e o dente de alho, deite num tacho, junte o azeite ou o oléo e o gengibre e deixe cozinhar até a cebola ficar transparente.

Junte depois o caril, misture bem e adicione 6 a 9 colheres de sopa da água do bacalhau e o leite de coco. Deixe levantar fervura.

Junte o bacalhau lascado, rectifique o sal e deixe cozer, em lume brando, durante 10 a 15 minutos. Adicione os coentros picados e sirva com arroz branco basmati.

DSCN4796

Sem comentários:

Enviar um comentário