terça-feira, 29 de novembro de 2011

Salada de Bacalhau com Grão


DSCN7502

E quem disse que as saladas são somente para o Verão? Esta salada é quente e excelente para os dias de Inverno. Smile

Utilizei bacalhau ultracongelado, grão enlatado, as cenouras e brócolos são biológicos. Para temperar tive de recorrer a alho em pó, não tinha alho fresco. Caso possa, pique finamente um a dois dentes.

O bacalhau foi descongelado num tabuleiro com uma grelha no frigorífico. A descongelação deve ser efectuada na véspera da sua confecção.

Tabuleiro com a grelha - Comprei numa loja de produtos de hotelaria no Martim Moniz

A grelha vai impedir o contacto do líquido da descongelação entre em contacto com o alimento. A descongelação nunca deve ser feita à temperatura ambiente e/ou dentro de um alguidar com água quente.

O tabuleiro no frigorífico

Bem voltando à salada de bacalhau com grão, a receita é: Rolling on the floor laughing

Ingredientes (3 a 4 porções):

  • 2 Postas de Bacalhau demolhado e ultra-congelado;
  • 1 Lata de grão cozido;
  • 1 Brócolo;
  • 3 a 4 Cenouras;
  • 1 Cebola pequena;
  • Azeite q.b.;
  • Alho em pó q.b;
  • Sal q.b.

Descongele as postas de bacalhau em ambiente refrigerado.
Descasque e lave as cenouras. Corte as cenouras em quartos.
Lave muito bem o brócolo e separe-o em raminhos.
Descasque, lave e corte ao meio a cebola.
Num tacho com água a ferver coza as postas de bacalhau. No tacho do bacalhau deve colocar a cebola e tempere com sal.
Noutro tacho com água a ferver, coza as cenouras e o brócolo. Tempere com sal.
Abra a lata de grão e escorra muito bem o líquido. Quando os legumes estiverem quase cozidos, acrescente os grãos e deixe cozer mais 3 a 5 minutos.
Após a cozedura do bacalhau, retire as postas.
Deve desfiar as postas de bacalhau, retirando a pele e as espinhas.
Após a cozedura dos legumes e grãos, deve escorrer a água.
Numa taça coloque os legumes e o bacalhau desfiado.
Tempere com alho em pó e azeite.
Sirva quente ou morno.


Sugestão: Substitua o alho em pó por alho fresco.
Acrescentar tomate cereja à salada.

Bom apetite!!! Plate

:)***

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Empadão de Legumes


DSCN7543

O empadão de legumes é uma receita rápida e fácil.

Neste empadão utilizei puré instantâneo, mas pode fazer o seu próprio puré ou então substituir o puré por arroz.

Eis a receita do empadão de legumes:

Ingredientes (4 porções):
Para fazer o puré de batata:

  • Puré instantâneo de batata(a quantidade foi de acordo com as instruções da embalagem);
  • Àgua (a quantidade foi de acordo com as instruções da embalagem);
  • Leite (quantidade de acordo com as instruções da embalagem);
  • Noz-moscada;
  • Margarina q.b. (utilizei 1 colher de sopa mal cheia)

- Para fazer o recheio do empadão:
  • 200g de Cenoura;
  • 100g de alho francês (parte branca);
  • 200g de brócolos (utilizei brócolos biológicos);
  • 1/2 Embalagem cogumelos frescos laminados (pode utilizar cogumelos laminados enlatados)
  • Azeite q.b. (utilizei uma colher e meia de sopa de azeite);
  • 2 Colheres de sopa de polpa de tomate;
  • 1 Colher de sopa de salsa picada (utilizei salsa ultracongelada, não tinha fresca);
  • 0,5 dl Vinho Branco;
  • 1 Gema;
  • Sal q.b.
Lave muito bem o alho-francês, os brócolos. Separe os brócolos em raminhos.
Descasque a cenoura e corte-a em rodelas, assim como o alho-francês.
Estufe o alho-francês no azeite. Acrescente os restantes legumes, os cogumelos e a polpa de tomate.
Tempere com sal e salsa picada.
Regue com vinho e deixe cozinhar e reserve.
Prepare o puré de batata de acordo com as instruções da embalagem. O meu puré foi temperado com com noz-moscada e margarina.
Ligue o forno a 170ºC.
Coloque metade do puré num recipiente próprio para levar ao forno, sobreponha os legumes com os cogumelos e finalize com o restante puré.
Pincele com uma gema batida e leve ao forno a gratinar.
Sirva quente ou morno. Acompanhe com uma salada a seu gosto.


Caso pretenda fazer o seu puré de batata:
Ingredientes:
  • 800g de batata;
  • Água q.b.;
  • Sal q.b.
  • Noz-moscada;
Coza as batatas em água a ferver, temperada com sal.
Após cozidas as batatas (espetar um garfo na batata para verificar se está cozida), escorra-as e reduza-as a puré. Em puré deve colocar um pouco de noz-moscada e mexer muito bem.


Algumas etapas da confecção do empadão de legumes:
DSCN7517
Os legumes e os cogumelos a estufar
DSCN7521

DSCN7522

DSCN7525
Legumes, cogumelos já prontos
DSCN7538
Metade do puré de batata no recipiente para levar ao forno
DSCN7539
O puré e os legumes (falta a última camada de puré)
DSCN7540
Empadão com a última camada de puré
DSCN7541
A gema foi batida e utilizada para cobrir a última camada de puré
DSCN7542
Fiz uns pequenos enfeitos com um garfo (uma opção pessoal) 
DSCN7545
Empadão, após sair do forno

Bom apetite!!! Plate

:)***

sábado, 26 de novembro de 2011

Vídeo muito giro

Confesso que gosto de carne, embora passe muitos dias sem a consumir.

Como uma boa algarvia, prefiro o peixinho.

Voltando à carne, encontrei este vídeo, um anúncio da rede de fast food KFC.

Calma não estou a fazer publicidade (pelos menos intencionalmente a esta rede), pois confesso que nunca comi   nesta cadeia de fast food. Não sou fã.



O vídeo retrata um casal de velhinhos que ao dançarem rejuvenescem. Chama-se "O amor é para sempre", a peça foi produzida pela Bouffant e dirigida por Erik van Wyk.


Desejo um bom fim-de-semana.


:)***

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Para amantes da Apple e da Samsung :D



Costumo seguir o blog do Rui Craveiro e decidi partilhar este vídeo. Está giro.

Atenção não pretendo ofender ninguém.

:)***



Quiche de Tomate e Cogumelos



DSCN7535

Fiz esta quiche para aproveitar uma massa folhada cuja data de validade estava quase a expirar e para aproveitar uns cogumelos frescos e tomates cereja.

Adoro fazer quiches. São uma excelente forma de aproveitar sobras de alimentos e ficam excelentes acompanhadas com uma salada.

Eis a receita:

Ingredientes:

  • Massa folhada fresca redonda;
  • 150 g Tomate Cereja;
  • 1/2 Embalagem de cogumelos frescos;
  • 1/2 Embalagem de Queijo flamengo magro (podem utilizar outro queijo à sua escolha);
  • 4 Ovos;
  • 1 Chávena de chá de leite magro;
  • Orgãos secos q.b.;
  • Sal q.b. 

Lave os tomates cereja muito bem e seque-os em papel absorvente. Corte o tomate em quartos e/metades.
Limpe os cogumelos e lamino-os.
Coloque a massa folhada sobre uma forma com fundo amovível. Retire o excesso de massa com a ajuda de um rolo de massa ou com uma faca.
Pique a massa com um garfo, tendo o cuidado de não a perfurar.
Por cima da massa folhada coloque pedaços de queijo.
Seguidamente coloque os pedaços de tomate.
Adicione os óregãos na quantidade a seu gosto.
Volte a cobrir os tomates com pedaços de queijo.
 Ligue o forno a 170ºC.
Adicione os cogumelos laminados.
À parte bata 4 ovos com o leite. Tempere com sal e óregãos.
Adicione os ovos com o leite ao recheio da quiche.
Leve ao forno durante 40 a 45 minutos ou até a massa folhada abrir e o recheio estiver dourado.

Nota: Eu nunca unto a forma com gordura, coloco directamente a folha de papel vegetal que vem com a massa folhada/massa quebrada directamente sobre a forma. Veja as fotos abaixo.

Sugestão: Pode substituir a massa folhada por massa quebrada.


Aqui estão algumas fotos com as diferentes etapas da elaboração da quiche:
DSCN7507
Massa folhada coberta com pedaços de queijo
DSCN7509
Massa folhada com o queijo, os pedaços de tomates e os óregãos 
DSCN7511
Massa folhada com o queijo, o tomate, os óregãos e os cogumelos laminados
DSCN7513
Massa Folhada com o queijo, o tomate, os óregãos, cogumelos laminados. Por cima encontram-se mais  pedaços de queijo
DSCN7515
A quiche pronta, antes de ir ao forno
DSCN7528
Quiche de Tomate e Cogumelos, após o forno

Bom apetite!!! Plate

:)***

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Prioridade Redução do Desperdício Alimentar


Vou deixar aqui uma ligação para um blog que sigo: http://alimenticias-portugal.blogspot.com

Espero que goste!!

:)***

Macarrão com Chouriço e Grão


DSCN7717

Hoje deixo uma sugestão para estes dias de frio e para todos os amantes de grão. Open-mouthed smile

Confesso que adoro grão e feijão. Ambas são leguminosas secas.

As leguminosas são alimentos de excepcional valor nutritivo, cujo consumo tem vindo a cair ao longo dos últimos anos. Este tipo de alimentos têm um papel fundamental para a manutenção da saúde pela contribuição em termos energéticos, sob a forma de amido e de proteínas, fibras, vitaminas e minerais.

Estes alimentos são ricos em vitaminas B1, B2 e ferro.

"As proteínas das leguminosas são pobres em metionina e triptofano, mas ricas em lisina. Podem complementadas com cereais, ex.: a combinação de arroz com feijão." 
Almeida, M. e outra,  Principios Básicos de Alimentação e Nutrição, Universidade Aberta, 2001  

"As proteínas das leguminosas têm menor qualidade biológica do que a carne, peixe, ovos e leite, pois, como todas as proteínas de origem vegetal, são constituídas por aminoácidos em proporções e quantidades muito diferentes das características das proteínas humanas. Quando são consumidas juntamente com pequenas quantidades de alimentos proteicos de origem animal ou com porções abundantes de cereais e hortaliças, as diferentes proteínas complementam-se fornecendo todos os aminoácidos necessários."
Prof.ª Isabel do Carmo, Conhecer os Alimentos, 2011 


A casca das leguminosas é formada por fibras alimentares solúveis, a que estão associados alguns oligossacarídeos. Só uma pequena parcela destas moléculas atravessa intacta a parede intestinal, isto porque não possui uma enzima capaz de degradar. As moléculas retidas no colón vão sofrer a acção da flora microbiana dando origem a gases compostos por dióxido de carbono, metano e hidrogénio. Esta flatulência provoca mal estar em indivíduos mais sensíveis, mas pode ser minorada se as leguminosas forem descascadas e passadas pelo "passe-vite".


Cuidados a ter com leguminosas:

  • As embalagens devem se encontrar integras, sem rasgões, sem sinais de humidade. 
  • As leguminosas deve ser armazenadas em local seco (10ºC a 18ºC) e arejado. 
  • As embalagens depois de abertas, o seu conteúdo deve ser guardado em recipientes fechados. Os recipientes devem ser guardados da luz e da humidade.


Voltando ao macarrão com chouriço e grão,

Ingredientes (4 porções):

  • 1 Cebola;
  • 3 Dentes de alho;
  • 2 Tomates maduros;
  • 100g a 200g de Chouriço de carne;
  • 2 a 3 Colheres de sopa de polpa de tomate;
  • 300g de Macarrão;
  • 1 Lata de grão-de-bico pequena;
  • 1 dl Vinho branco;
  • Azeite q.b;
  • 6dl de Àgua;
  • Sal q.b.
Descasque, lave e pique finamente as cebolas, os dentes de alho e os tomates;
Corte o chouriço às rodelas e reserve.
Num tacho com azeite refogue a cebola, o alho e o tomate durante 3 minutos. Junte o chouriço às rodelas.
Mexa tudo e deixe refogar durante 5 minutos.
Refresque com o vinho branco e deixe evaporar. 
Adicione a polpa de tomate e a água. 
Tempere com sal.
Assim que ferver, junte a massa e deixe cozer durante 7 minutos.
Abra a lata de grão, escorra o líquido. Lave os grãos com água quente.
Adicione os grãos ao tacho e mexa tudo muito bem (caso esteja a ficar muito seco, adicione um pouco de água a ferver).
Deixe cozinhar o grãos com o resto dos alimentos durante 5 a 10 minutos.
Rectifique os temperos.
Sirva quente.



Bom apetite!!! Plate

:)***

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Panados no Forno com Salada


DSCN7654

No passado sábado à noite sai com uns amigos. Durante a conversa, para minha surpresa, uma amiga não sabia que se podiam fazer “douradinhos” por exemplo no forno. Eu costumo fazer vários panados e hamburgueres no forno e não adiciono qualquer tipo de gordura. Já cozinho desta forma este género de produtos, ainda antes de surgirem no mercado os "panados/douradinhos para o forno.

Costumo utilizar “douradinhos” e outro tipo de panados de marca variadas e de principalmente os de marcas brancas.

Este género de prato é excelente para os dias que se chega tarde a casa, ou o tempo para cozinhar não abunda, ou ainda para quem ainda não está habituada(o) a cozinhar.

Como acompanhamento sugiro uma salada de rúcula, tomate cereja, maçã. Esta salada é temperada com vinagre de framboesa, azeite e sal. No jantar da sexta-feira passada a minha amiga C. S. fez uma salada igual a esta. Ela costuma também acrescentar bagos de romã.

Neste prato utilizei panados de salmão.


Eis a receita:

Ingredientes (2 pessoas):

  • Panados ultracongelados à sua escolha;
  • 1/2 Embalagem de rúcula lavada;
  • 1 Caixa de tomate cereja (250gr);
  • 1 Maçã ao gosto (utilizei maçã vermelha);
  • Sal q.b.;
  • Azeite extra virgem q.b.;
  • Vinagre de framboesa q.b.
Ligue o forno a 170ºC.
No tabuleiro de ir ao forno coloque uma folha de papel vegetal.
Disponha os panados ultracongelados (sem os descongelar anteriormente) sobre o tabuleiro forrado. Quando o forno estiver quente coloque o tabuleiro no forno.
À parte prepare a salada. Lave muito bem os tomates e a maçã. Corte os tomates ao meio (metades).
Coloque numa taça a rúcula lavada, as metades de tomate.
Ao longo da confecção dos panados do forno, deve vira-los.
O tempo de confecção do panado varia de acordo com o tipo de panado. 
Para verificar se o panado já se encontra cozinhado, deve espetar um garfo e confirmar. 
Quando tirar os panados do forno, deve acabar de preparar a salada ou seja acrescentar os pedaços de maçã. A maçã é acrescentada em último de modo a impedir a oxidação da mesma.
Tempere a salada ao seu gosto com azeite, sal e vinagre.
Sirva.




 Aqui estão algumas fotos com os diferentes passos:

DSCN7635
Tabuleiro forrado com o papel vegetal
DSCN7638
Panados antes de ir ao forno
DSCN7639
Taça com rúcula
DSCN7647
Taça com a rúcula, o tomate e os pedaços de maçã  (salada  ainda não temperada)
DSCN7645
Panados confeccionados no forno
DSCN7660
Panados com a salada
 

Bom apetite!!! Plate

:)***

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Portugal como exemplo

Deixo algo muito diferente da paparoca, mas igualmente interessante e para pensar.

Partilho uma ligação para o Blog do Rui Craveiro.

:)***

Ananás com Presunto

   DSCN7618

Hello Open-mouthed smile estou de volta depois de uma longa ausência. Espero que tenha feito deliciosos pratos.
Eu acredito que é necessário cozinhar com a alma e que transmitimos os nossos sentimentos à comida.

Hoje decidi partilhar uma entrada de ananás com presunto. A primeira vez que comi esta entrada foi num jantar de natal de uma empresa há já muito tempo. Na altura achei interessante, não se tratava do habitual melão com presunto.

Na sexta-feira cá em casa houve um jantar e apresentei esta entrada e gostaram.

Pode substituir o ananás fresco por rodelas ananás em lata. O ananás em lata não deve ser ácido e deve escorrer a calda da lata.

Na minha entrada o ananás era um pouco acido, para combater essa situação coloquei um pouco de açúcar amarelo sobre o ananás.

"O ananás é um alimento com muita água e o seu valor calórico é baixo. Contudo este fruto quando maduro contém cerca de 10% de hidrato de carbono simples ou de absorção rápida. O seu conteúdo em açúcares duplica nas últimas semanas de amadurecimento, pelo que os frutos colhidos antes do tempo ficam ácidos e pobres em nutrientes (informação retirada do site da Deco)"

Muitas vezes existe o receio de se comprar ananás fresco, devido ao desconhecimento de como descascar e partir um ananás.

Para ajudar vou partilhar alguns vídeos que explicam como descascar e partir um ananás:



O vídeo seguinte mostra como deve cortar o ananás para esta entrada:




Este vídeo é interessante e curioso:



Estes últimos demonstram como cortar um ananás à Tailandesa :




Espero ter ajudado com a partilha destes vídeos.


Voltando à entrada de ananás com presunto,

Ingredientes:

  • 1 Embalagem de presunto fatiado ao seu gosto;
  • 1 Ananás maduro
  • Açúcar amarelo q.b.
Descasque o ananás e corte-o de acordo com o segundo vídeo ou então ao seu gosto.
Coloque o ananás ao seu gosto sobre um prato.
Abra a embalagem de presunto. Enrole cada uma das fatias e disponho-as sobre o prato com o ananás (a decoração deve ser de acordo com o seu gosto).
Caso o ananás seja muito ácido, adicione uma a duas colheres de sobremesa de açúcar amarelo por cima do ananás. E sirva.


Bom apetite!!! Plate

:)***

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Um vídeo interessante que nada tem haver com a paparoca


Hello amigas(os) espero que os vossos cozinhados estejam a florir a vossa alma.

Hoje vou colocar um vídeo que nada tem haver com a paparoca, mas igualmente interessante.

Um vídeo que demonstra que os sonhos não são impossíveis, lute pelos seus sonhos ;)



O post de hoje é para reflectir.

Espero que goste!!!

:)***

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Umas pequenas férias…



Vou estar uns dias fora, em mini-férias com a minha mamã e o provador.

Desejo excelentes pratos culinários até ao meu regresso...

Divirta-se e bom apetite!!!  

:)***

Gelado de Dióspiro




Aqui está um excelente gelado de Outono e para todos os amantes de dióspiros ou caqui para os brasileiros.

O dióspiro é originário da China e bastante popular no Japão, sendo conhecido como damasco-do-japão. É um fruto que tem como época o mês de Outubro até Dezembro. Este fruto é rico em potássio e vitamina C.

Eu retirei esta receita de um folheto do Pingo Doce. A receita original leva iogurtes Bifidus, eu utilizei iogurtes naturais meio-gordos, infelizmente não tinha iogurtes naturais magros  (utilizarei numa próxima). Utilizei mais sumo de laranja que a receita original.

Eis a receita do gelado:

Ingredientes:
  • 400 g Dióspiros sem pele;
  • 2 Iogurtes naturais;
  • 1 Laranja pequena;
  • Canela em pó q.b.
Lave, descasque e corte os dióspiros em pedaços.
Lave muito bem a laranja.
Abra os iogurtes e retire o soro. 
Triture com a varinha-mágica ou no copo do liquidificador os iogurtes com os dióspiros cortados, a raspa da laranja e sumo de uma metade da laranja.
Coloque tudo numa taça e leve ao congelador. Deixe congelar durante 2h. 
Passado esse tempo, retire a taça do congelador e com a varinha-mágica ou com um garfo misture tudo, de modo a desfazer os cristais de gelo que se forem formando.
Coloque novamente no congelador durante 1:30h horas e repita a operação com a varinha-mágica ou com o garfo.
A tacha volta novamente para o congelador durante 1 a 2 horas. Fim deste tempo o gelado deve ser consumido de imediato.
Sirva o gelado em bolas com canela em pó.  
Pode acompanhar a bola de gelado com a canela em pó e pedaços de dióspiro fresco.

Bom apetite!!! 

:)***

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Pasteis de Belém

 “Os pastéis que só Lisboa tem e que todo o mundo conhece” é um artigo do jornal Diário de Notícias.

Hoje decidi partilhar este artigo que retrata os Pastéis de Belém. Estes pasteis que são conhecidos além fronteiras e super deliciosos Laughing out loud.

O site electrónico dos Pastéis de Belém tem um pequeno vídeo, onde se pode visualizar o fabrico destes bolos.

Eis mais um vídeo sobre estes deliciosos pasteis:

"Os pastéis de nata são uma das mais populares especialidades da doçaria portuguesa. Embora se possam saborear pastéis de nata em muitos cafés e pastelarias, a receita original é um segredo exclusivo da Fábrica dos Pastéis de Belém, em Lisboa. Aí, tradicionalmente, os pastéis de Belém comem-se ainda quentes, polvilhados de canela e açúcar em pó.  
O Pastel de Belém foi eleito em 2011 uma das 7 Maravilhas da Gastronomia de Portugal."


No YouTube encontrei este vídeo de um turista brasileiro em Portugal. Este vídeo mostra o interior da Pastelaria de Belém, onde são fabricados os famosos pasteis de Belém.


Desejo um doce dia!!! 

:)***

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Lulas com Arroz e Tomate


DSCN7479

Costumo fazer este prato de um modo diferente. Desta vez decidi não refogar a cebola e o alho em azeite.
Sempre refoguei a cebola e o alho em azeite. Acrescentando seguidamente o tomate, depois as lulas e no fim o arroz.

Hoje decidi experimentar um método diferente e mais saudável. Esta receita é ideal para quem não pode comer fritos, alimentos com gordura (ex.: diabéticos).

Este prato ficou igualmente saboroso, vou começar a fazer assim mais vezes.

Aprendi esta receita na revista "Mulher Moderna Cozinha, Setembro 2011". Eu acrescentei à receita original a polpa de tomate, o piri-piri moído e a salsa picada. Gosto sempre de colocar um pouco de pimento vermelho e/ou vermelho, infelizmente não o tinha em casa.

Utilizei uma polpa de tomate com cebola e alho, adquirida no Lidl. Existe também à venda polpa de tomate com alho (a minha favorita).

Vamos lá à receita,

Ingredientes (4 pessoas):

  • 1 Embalagem de lulas inteiras (Comprei lulas já limpas);
  • 180 g tomate maduro (pode substituir por tomate pelado);
  • 1 Cebola pequena;
  • 2 Dentes de alho;
  • 1 Colher de sopa de azeite;
  • 1 a 2 Colheres de polpa de tomate (utilizei polpa de tomate com cebola e alho do Lidl);
  • 1 Copo pequeno de vinho branco;
  • 1 Chávena grande com arroz calorino;
  • 2 Chávenas grandes com água a ferver;
  • Sal q.b.;
  • Piri-piri moído q.b.
  • Salsa picada q.b. (utilizei salsa picada ultracongelada).
Descongele as lulas à temperatura de refrigeração. Posteriormente arranje-as e lave-as bem e reserve.
Lave, descasque e pique os tomates.
Descasque, lave e pique a cebola e os alhos.
Num tacho coloque o tomate picado, a cebola e os alhos. 
Adicione o azeite.
Triture tudo. 
Adicione a polpa de tomate.
Leve o tacho ao lume e junte-lhes as lulas. Tempere com sal e deixe cozinhar.
Quando o molho começar a ferver, regue com o vinho branco.
Deixe evaporar um pouco o vinho, tape e deixe cozinhar durante 15 a 20 minutos em lume brando.
Passado este tempo, retire as lulas, junte a água a ferver ao molho. Deixe levantar fervura e adicione o arroz e deixe-o cozer durante mais ou menos 15 a 20 minutos. Rectifique o sal (provar se está bom de sal) e tempere com o piri-piri. A poucos minutos do fim da cozedura, adicione as lulas ao arroz e a salsa picada.
Sirva de imediato.

Bom apetite!!!


Apresento algumas fotos da confecção de prato:

DSCN7466
O preparado todo triturado
DSCN7471
Esta foi a polpa de tomate utilizada
DSCN7467
Polpa de tomate a ser adicionada ao molho
 
DSCN7465
Lulas antes de colocar no tacho
DSCN7475
Tacho com as lulas e o vinho branco
   
DSCN7477
As lulas a serem retiradas
DSCN7478
Lulas cozidas
 
DSCN7485
Prato final - Lulas com arroz de tomate


Espero que goste!  

:)***

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Pão


DSCN4157


O pão é um dos alimentos mais importantes na nossa alimentação.

Eu adoro pão quentinho com azeite e alho, na tiborna ou simplesmente com margarina ou queijo.

Um dos meus cheiros favoritos de infância é do pão caseiro a sair do forno…que bom. Laughing out loud
Antigamente havia um forno no quintal da casa da minha mãe, fazia-se todos os 15 dias pãozinho caseiro, pão com torresmo, pão com choriço, só delicias!!! Smile

Os tempos mudaram, o forno já não existe. Agora possuo em casa uma máquina de fazer pão.

Confesso que o pão é diferente, mas o cheiro do pão é semelhante e delicioso.

E assim apresento a minha máquina de fazer pão:

DSCN4151

Faço vários tipos de pão na minha máquina, desde pão de sementes, pão de mistura, pão branco, pão integral. As minhas farinhas favoritas são as da "Branca de Neve".
Os meus pães favoritos são os dois primeiros.

DSCN5125
Pão de sementes, feito na minha máquina de fazer pão
DSCN4159
Pão de mistura, feito na minha máquina de fazer pão
               
Na pré-história o Homem não conhecia o pão. No ínicio o Homem comia os grãos de cereais e depois a farinha grossa obtida por esmagamento misturando-a com água obtendo uma papa. E na Antiguidade Clássica continuou sem fazer o pão tal como é feito hoje.

Os egípcios eram um povo sedentário, cultivadores de trigo nas margens do Nilo. Ao observar o que acontecia à papa de cereais quando apodrecia, eles observaram também que quando coziam aquela massa já azeda se formavam bolhas de ar por dentro que não se espalhavam porque se formava uma crosta à superfície.

E com o passar dos tempos a técnica foi evoluindo.

O forno foi inventado. Um forno com uma porta que abria para o exterior para o lume ser regulado.
A pasta de cereais era amassada, deixada em repouso e era novamente amassada. E finalmente o Homem teve a ideia de guardar pedacinhos daquela massa inicial, que parecia apodrecida.
O pedacinho da massa continha esporos dos fungos da levedura que desdobram os açúcares da farinha de cereais em gás carbónico e álcool, os quais são libertados, formando os buracos do pão.
Calma!!! Os egípcios não sabiam nada destas transformações, mas sem saberem descobriram o fermento. Esta informação foi retirada do Heinrich,  6000 Anos de Pão, 2003.

DSCN4160
Actualmente existem bastantes variedades de pão nas nossas vidas, desde o pão branco até ao pão de leite.

Estas variedades resultam de vários tipos de de farinha.

As farinhas são classificadas em tipos de acordo com o seu grau de peneiração, ou seja quanto maior é o número do tipo de farinha, menor é a sua peneiração, isto é maior quantidade terá de camadas externas, e portanto nutricionalmente mais rico.

Existem vários tipos de farinha, tais como por exemplo trigo (tipos 55, 65, 80, 110, 150), milho (tipo 70, 100), centeio (tipo 70, 85).

Dos tipos de farinha, vou agora para o "Pão caseiro". Estive a pesquisar e encontrei este vídeo, fabrico de pão caseiro (método artesanal).



No mercado existem muitas variedades de pão, para todos os gostos.

Variedades de pão:
  • Pão branco (pão mais pobre em vitaminas e sais minerais);
  • Pão Integral;
  • Pão com fermento natural (antes de existir o fermento de padeiro actual a fermentação foi inventada retirando à massa do pão um pedaço que se deixa fermentar);
  • Pão de forma (um pão com menos côdea e mais miolo. Tem algum açúcar e alguma gordura);
  • Pão de leite (este pão é feito com a farinha branca, leite e malte);
  • Pão de mistura (é feito com mistura de farinha de centeio [mínimo 60%] e farinha de trigo);
  • Pão com passas ou nozes/sementes (pão feito com farinha integral e com sementes ou/passas);
  • Pão caseiro (este pão é feito com mistura de farinhas. Existem vários tipos deste pão, desde o pão de Mafra. o pão Alentejanas).
  • Tostas (pão torrado, pode ser de farinha branca ou farinha integral e um pouco de açúcar)
Para ensinar como se pode fazer pão em casa, encontrei este dois vídeos:


E a segunda parte do vídeo:



Muitas pessoas cortam o pão da sua alimentação com o argumento que o pão engorda.

Na realidade o pão não é hipercalórico. Contudo, o importante não é o pão, mas sim o que se põe no pão e a quantidade.

Não podemos excluir o pão das nossas refeições. Isto porque o pão fornece magnésio e vitaminas B1,B2, B3, B5, B6 e PP. Mas podemos escolher o pão mais favorável ao nosso regime.
"É necessário ter em conta o valor calórico e o índice glicémico.

Isto é, o pão branco após ser comido, o açúcar no sangue sobe mais alto e rapidamente do que o pão de mistura. É qualquer coisa como isto: a glicose tem 100 (serve de comparação), o pão branco tem 95, o pão de mistura 34 a 75 e o pão de trigo integral 40 a 70. No entanto, se o pão for comido com outro alimento, isso vai baixar o índice glicémico. Por exemplo: o pão com queijo tem um índice glicémico mais baixo do que o pão sozinho. Não confundir com calorias."
Fonte: Profª Isabel do Carmo – Conhecer os Alimentos, 2011, pág 82.

Um bom conselho dado pela profª e médica endocrinologista Isabel do Carmo:
Pão de mistura com queijo fresco


Espero que tenha gostado do tema de hoje,

:)***

sábado, 5 de novembro de 2011

Almofadinhas de Bacon e Cogumelos


DSCN4277

Para este sábado deixo uma pequena sugestão, almofadinhas de bacon com cogumelos.

Estas almofadinhas podem ser uma entrada ou um lanche ou ainda um prato principal acompanhado de uma boa salada.

Espero que goste. Winking smile

Ingredientes:
  • Massa folhada fresca rectangular;
  • 200g Bacon aos cubos;
  • 1 Cebola pequena picada;
  • 2 Dentes de alho picados;
  • 300 g Cogumelos enlatados laminados (pode utilizar cogumelos frescos ou ultracongelados);
  • 1 Colher de sopa de Azeite;
  • Sal q.b.
  • Água q.b.
Abra a lata de cogumelos e escorra bem o líquido.
Descasque, lave e pique a cebola e os dentes de alho.
Numa frigideira anti-aderrente deve adicionar o azeite, a cebola e os dentes de alho picados.
Quando a cebola estiver transparente deve adicionar o bacon.
Deixe cozinhar o bacon durante 5 a 7 minutos, tendo o cuidado de mexer.
Adicione os cogumelos laminados.
Tempere com sal ao seu gosto.
Deixe cozinhar mais 5 a 7 minutos. Retire do lume e reserve.
Deve deixar arrefecer muito bem o preparado anterior (não deve colocar o recheio quente sobre a massa folhada).
Ligue o forno a 170ºC.
Sobre uma bancada estenda a massa folhada.
Corte a massa em pequenos rectangulos.
Coloque o preparado/recheio de bacon com cogumelos sobre os rectangulos de massa e cubra com a massa, de modo a formar pequenas almofadas.
Com um garfo junte as pontas das massa.
Pincele as pontas da massa com um pouco de água.
Coloque as almofadinhas num tabuleiro forrado com papel vegetal e leve ao forno.
Deixe estar no forno durante 35 a 4 minutos ou até a massa folhada abrir e ficar dourada.

Bom apetite!!! Plate

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Folhados de Salsicha

DSCN7334

Eis uma rápida entrada ou um petisco para um lanche com os amigos. Winking smile Pode utilizar salsichas ao seu gosto. Utilizei salsichas frankfurt enlatadas, de marca branca. Caso não consuma carne, pode utilizar salsichas de cogumelos ou tofu.
Utilizei massa folhada rectâgular do Lidl e a mostarda Dijon foi adquirida numa promoção no Lidl.

Eis como se preparam os folhados de salsichaRolling on the floor laughing:

Ingredientes:
  • Massa folhada rectangular fresca;
  • A quantidade de salsichas que pretender (utilizei uma lata de 8 salsichas);
  • Mostarda Dijon q.b.
Ligue o forno a 170ºC.
Abra a lata de salsichas e escorra bem o líquido.
Passe as salsichas por água a ferver.
Seque as salsichas com papel absorvente.
Reserve as salsichas.
Sobre uma bancada estenda a massa folhada.
Corte a massa folhada em pequenos rectângulos.
Coloque uma colher de sobremesa mal cheia de mostarda Dijon sobre os rectângulos da massa folhada.
Enrole os rectângulos com a mostarda à volta de cada salsicha.
Coloque as salsichas com a massa folhada num tabuleiro forrado com papel vegetal e leve ao forno.
Deve estar no forno durante 30 a 35 minutos ou até a massa folhada abrir e ficar dourada.

Bom apetite!!! Plate

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Um blog interessante

Apresento um blog interessante que explica a realidade financeira e económica do mundo.

Recomendo.

:)***

Arroz Integral de Cenoura e Milho com Salmão e Brócolos Cozidos

DSCN5516

Hoje resolvi partilhar um prato saudável, simples e leve.

Cá em casa somos fãs de arroz integral com legumes e peixe cozido.

O peixe de eleição foi salmão ultracongelado. Muitas pessoas, quando ouvem falar em salmão cozido, torcem o nariz, mas na realidade tal reacção é puro conservadorismo ou então ignorância. O salmão cozido é delicioso. Contudo, não o deve cozer demasiado, sendo este o segredo.

O arroz integral é um cereal complexo, rico em vitaminas (B1, B2, B6 e PP) e minerais (ex.: magnésio). Os brócolos  possuem vitamina C e ácido fólico.
"Apesar das vantagens do arroz integral, o seu consumo tem um senão. A casca é rica em ácido fítico que produz fitatos quando se junta com o cálcio e o ferro, diminuindo a sua absorção. Portanto, resulta desta nossa aprendizagem que devemos beber o leite e comer o iogurte separadamente dos alimentos integrais, se queremos uma absorção plena do cálcio. E quem estiver preocupado com a absorção do ferro da carne, porque tem anemia, é preferível não comer a carne com arroz integral. Quanto às pessoas que têm o colon irritável ou espástico, a que se chamam colite, deverão cozer bem o arroz integral, para que as fibras da casca não irritem a mucosa do cólon." 
 Profª Isabel do Carmo - Conhecer os Alimentos, 2011, págs 88 e 89

Vamos lá à sugestão de hoje,
Ingredientes (2 pessoas):
  • 2 Postas de Salmão Ultracongelado sem espinhas;
  • 600gr de Brócolos (utilizei brócolos ultracongelados);
  • 1 Chávena de chá de arroz integral;
  • 2 Cenouras frescas;
  • 1 Cebola picada pequena;
  • Meia chávena de milho ultracongelado (pode ser utilizado milho enlatado);
  • Água; 
  • Alho em pó q.b.;
  • Sal q.b.;
  • Azeite q.b.;
  • Vinagre balsâmico q.b.


Arroz integral de cenoura e milho:
Coloque o arroz integral demolho em água durante 1 hora.
Deve descascar a cebola, lava-la e picá-la finamente. Descasque a cenoura, lave-a e corte-a em rodelas finas.
Escorra o arroz da água.
Leve ao lume um tacho com um pouco de azeite (1 colher sopa mal cheia de azeite) e a cebola picada. Á parte deve aquecer água (ferver água para o arroz). Quando a cebola estiver transparente deve acrescentar o arroz integral e a cenoura.
Mexer muito bem o arroz. Deve cozinhar aproximadamente 15 minutos (vá adicionando poucas quantidades de água a ferver, ao arroz).
Seguidamente acrescente a restante água a ferver. (ATENÇÃO: Não esquecer, por cada chávena de arroz, ponha 2 chávenas de água a ferver).
Tempere com sal e alho em pó, em gosto.
Atenção, como se trata de arroz integral, o tempo de cozedura é superior a outros tipos de arroz, podendo por vezes ser necessário acrescentar mais um pouco de água (1/2 chávena de água a ferver).
Quando o arroz estiver quase cozido, acrescente o milho. Mexa delicadamente.
Apague o lume após a sua cozedura.

Salmão cozido:
Num recipiente com água a ferver temperada com sal, deve cozer as postas de salmão.
Atenção o salmão não deve cozinhar demasiado.

Brócolos Cozidos:
Lave os brócolos e corte-os. Ou então utilize simplesmente brócolos ultracongelados.
Noutro tacho com água a ferver e temperada com sal, adicione os brócolos. Deixe-os a cozer.
Após a sua confecção deve escorrer a água.

Após a confecção do arroz, do peixe e dos brócolos, emprate-os e tempero-os com azeite e vinagre balsâmico, a gosto.

Um sugestão saudável.

Bom apetite!!!  :)***